quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Se manda, gato.

Não sei se era minha obsessão ou se fazia parte de algum plano cruel da vida de testar alguém, mas o fato é que você estava em todos os lugares. No caminho do trabalho até em casa, consegui contar 12 pixações com o seu nome. "Ok, deve ser coinciência", pensei.
Na minha casa, eu vivia a esbarrar em coisas suas: Primeiro uma camiseta velha de banda na minha gaveta de lingeries, depois uma meia solta atrás da geladeira e por fim, aquele seu cheiro de canela no meu travesseiro.
Talvez mudar de ares seja uma boa idéia, então aproveito uma viagem de trabalho ao nordeste para tentar deixar por lá as suas lembranças fantasmagóricas. Eu só não contava que em uma barzinho a beira mar em Fortaleza fosse encontrar um cantor qualquer que executasse todo o cd do maroon5 enquanto eu degustava um camarão e bebia uma cerveja... Isso só me fez lembrar da pastinha no seu celular onde você guaradava todas as músicas que te faziam lembrar de mim e que você nomeou como: "Songs About Lu".
Sinceramente, não faço idéia do que você fez pra mim. Foram poucos meses felizes e muitos meses tristes para eu ter certeza de que dentro de você não existe mais nada meu. A questão é que agora me sinto como uma criança sendo perseguida pelos coleguinhas "espírito de porco" no colégio. Me sinto perseguida por um "você" que não existe mais. Então decidi escrever isso no meio de um dia comum, onde eu deveria estar pensando na morte da bezerra e não em você.
Decidi fazer um apelo (é minha última tentativa desesperada, então presta atenção porra!): EU DEIXO VC IR, GAROTO!
Mas por favor, leva TODAS as suas coisas com você. Me deixa aqui sozinha, pq comigo eu consigo lidar, agora com essa saudade chata e insistente é difícil de conviver. Até arrisco dizer que é mais fácil respirar dentro de um forno com gás ligado, mas isso soaria um pouco dramático de mais, então serei sucinta: Vai embora logo, já que você não vai voltar. Amém.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

17.11.2011.



"Sentei no único lugar onde podia me esconder e comecei a chorar.

As lágrimas saltavam dos meus olhos umas seguidas das outras, como em uma procissão. E uma a uma fui amparando com o dedo e encostando na língua, pq eu não admitia mais derramar uma lágrima sequer por vc."

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

♪♪♪♪♪♪♪

O tempo do apartamento dele até o meu eu conseguia cronometrar: Eram exatos dois cigarros. Saia de lá, acendia o primeiro, tragava vigorosamente, dava uma pausa de 2 minutos, acendia o próximo e quando eu terminava já estava na portaria do meu prédio dando bom dia, boa tarde ou boa noite para o Seu João, o porteiro. Preciso fazer esse mesmo percurso contando quantas vezes consigo repetir aquela minha música preferida da banda The Black Keys. Bom, mas isso vai ficar pra outro dia.
Certamente, devo ter TOC. Sempre tive muitas manias, essas coisas de contar nos dedos das mãos as palavras ditas pela vilã da novela das nove, separar a comida em partes ou andar sem pisar em linhas que separam azulejos. Ai eu conheci ele... A simplicidade em pessoa com nome, sobrenome e barba. É daqueles que quando você está perto tem a sensação de que nada nunca vai dar errado. Ele é tão calmo, sereno e descomplicado que deveria ser mediador da paz em países conflitantes.

Lembro do dia em que tive que sair da cidade pra fazer um trabalho e ele me levou no aeroporto. Eu, pra variar, super atrasada e surtando com medo de perder o voo e atrasar todos os meus compromissos. Parados no trânsito, ele na maior calma do mundo me dizendo: "Fica calma branquela, eu prometo que vai dar tempo." E ah, vocês tinham que ver a certeza com que ele me disse isso e tinham que ver também, como funcionou e tudo realemente deu certo.

Sou uma louca, surtada, preocupada e impaciente com a vida.

Ele: Seguro, tranquilo e com uma convicção que penso nunca conseguir alcançar nem quando somo 1+1. Deve ser por isso que nossa música nunca pára de tocar. Somos o equilíbrio perfeito entre o caos e a calma.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Somente.

*Conclusão aleatória do dia:
Nesses últimos anos eu tive 3 envolvimentos romanticos.
Os 3 partiram desta para uma melhor, mas cada um deixou coisas diferentes pra mim:
Moço 1 (e mais importante) - Me deixou o gosto por filmes, livros e coisas bonitas.
Moço 2 - Me deixou um livro que nunca terminei de ler e esse blog.
Moço 3 - Me deixou um gosto por Rolling Stones e Marlboro.
E só.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Dia 1 ♥

A questão agora é uma só:


O quanto eu quero que o meu desejo se realize?


Dia 1 ♥

A questão agora é uma só:
O quanto eu quero que o meu desejo se realize?

segunda-feira, 25 de julho de 2011

. Coisa sobre mim - 2 .

Às vezes eu sinto muita vontade de ir embora.

Mudar de país, de emprego e de nome.

Eu me chamaria Verônica sem sobrenome, e trabalharia de dançarina numa boate na espanha.

Fumaria cigarros com piteiras e iria gostar de chá.

Chá com vodca.
Ia dormir de rímel, e acordar parecendo uma daquelas musas decadentes do Almodóvar.

Meu perfume seria de gardênia e minha voz mais rouca.

E quando eu fosse comprar pão, sairia de camisola vermelha mostrando a calcinha, assim, sem ficar encabulada.

Não teria namorados.

Não teria amores.

Não teria documentos.

Meu lar, seria um pequeno apartemento bagunçado com cheiro de fumaça e lágrimas.

E ia tocar mto jazz. Dia e noite, noite e dia.

. Coisa sobre mim - 1.

Ninguém pode me culpar.
Por gostar de ser assim, apaixonada por minha companhia.
Nem podem me julgar egoísta, por preferir passar meu tempo a alimentar minhas vontades, escrever minhas regras e sentir minhas dores.
É bom ter uma vida particularmente minha.
Com suas belezas bizarras, suas músicas estranhas, seu paladar infantil, suas letras espalhadas, mais medo que coragem e filmes clichês.
Não deve ser pecado gostar de mim mesmo me odiando.
É aquela coisa do bate e assopra, saca?

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Hug ♥

E hoje, se eu tivesse direito a 03 pedidos para o gênio da lâmpada mágica
Eu pediria um abraço seu
Três vezes três.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Da série: Treinando o gostar #oqueinspira

E desse jeito tem como não se inspirar?


Eu ando meio enamorada por pássaros e azul... Todos os tons de azul ♥
(Se bem que a cor do esmalte da moça está mais pra um verdinho né?)



Azul com rosa, dá vontade de comer. Me lembra cupcakes


É, eu estou toda amor hoje.

Então tá.




Eu sou linda e modesta. Risos.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Oração.









E a partir de hoje, estou em um relacionamento sério comigo mesma.
Eu prometo não me sabotar, aceitar elogios, e cuidar de mim e dos meus.
Prometo aprender a me defender nem que pra isso eu tenha que abrir mão de algumas coisas.
Prometo não me preocupar tanto.
Prometo ouvir minhas músicas preferidas todos os dias e descobrir tantas outras músicas que estão me esperando.
Prometo comer menos açucar e mais frutas.
Prometo ver filme todos os dias.
Prometo voltar a fazer alongamento.
Prometo ir mais ao teatro e sair mais pra dançar e ficar bêbada de batom vermelho.
Prometo arrumar meu armário e minhas gavetas.
Prometo não escrever mais pra homem nenhum.
Prometo praticar o egoísmo com todo o fervor, Amém.
Felicidade é só uma questão de ser.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

segunda-feira, 4 de julho de 2011

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Café (ou elogio) pra despertar!


E ontem eu recebi um elogio que me deixou toda toda:
"Pra sua idade, você faz um cafézinho delicioso..."
E eu fiquei me achando... ♥

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Parte II de I - Final.


E quando acaba o encanto;
Acaba a razão de ser.
Sendo assim, VOCÊ, romanticamente dizendo, acabou na minha vida.
E por um único motivo: Não vejo mais estrelinhas nos seus olhos. Na verdade eu nem te reconheço mais. E não venha me dizer que a culpa é minha pq eu sei que vc sabe que não é.
Eu nunca te disse que era perfeita, pelo contrário... Enfim, fim.
E quanto a vc coração, fica ai bombando sangue pro meu corpo e amando o cd novo que baixei pro ipod (é The Rolling Stones - Their Satanic Majesties Request - Viciada no Mick) que já está de bom tamanho. E fique a postos, afinal, não sei quando posso precisar de vc novamente. Pode demorar anos, mas pode ser no próximo segundo, quem sabe?


quarta-feira, 29 de junho de 2011

1+1 = 2145875662869 infinitos...

Desde pequena, tenho problemas com números.
Explico:
Sempre fui boa aluna. Não gostava de copiar a matéria (minha personalidade rebelde aquariana que sempre predominou), mas entregava meus trabalhos no prazo e corretos. Tirava boas notas e não era de faltar. Os professores geralmente gostavam de mim e meus coleguinhas também, massssss: Nunca gostei de matemática! E mais: Foi a única matéria em toda minha vida que fiquei de recuperação (engraçado falar recuperação... hahaha).
Enfim...
Hoje estava trabalhando, como de costume, e minha mente inquieta me fez pensar que eu sempre tive problemas com números e que esses não se resumem ao meu trauma de infância com a matemática, mas também me persegue agora que sou uma pessoa na idade adulta.
Se eu pensar nos dilemas da minha vida e nas coisas que preciso resolver, lá está ele: Tirar minha conta bancária do vermelho definitivamente, juntar uma grana pra fazer algo realmente útil, parar com um consumismo boboca que me faz comprar coisas aleatória como protetores de assento de privada em um aeroporto (ou seja, paguei meus olhos verdes nesses saquinhos quase inúteis), aqueles quilinhos que vão e voltam, e a quantidade de vezes que cometo os mesmos erros em diferentes situações e com variadas pessoas. Uau...
Agora a pergunta é: Onde mesmo que posso fazer recuperação pra resolver esses problemas? Quem vai me ajudar a achar o valor de X?

I love You? Tem certeza, beibe?



Amor não é roupa.

Não dá pra vestir qdo achar conveniente, qdo achar que combina ou só qdo sente frio, como um agasalho.

O amor é perecível, ele respira, ele bebe água, se aliementa e precisa de sol.

Senão morre, definha e a única coisa a fazer depois disso é enterrá-lo e derramar lágrimas pela vida que se foi. A vida do amor que não foi bem vindo.

Eu gostaria muito que vc não me matasse, que não me jogasse pra debaixo do tapete, que não me deixasse dormir na chuva...

Eu gostaria que não me tragasse como cigarro e que me ouvisse como sua música preferida dos Rolling Stones que vc ouve 200 vezes seguidas sem enjoar.

Será que vc pode fazer a gentileza de tirar essa faca do meu peito?

segunda-feira, 13 de junho de 2011

...

Eu trabalho em um prédio bemmmm antigo, no centro de São Paulo.

Esse prédio, como tantos outros de tantos outros centros do mundo, tem aquela graça nostálgica misturado com aquele ar de filme de suspense.

E eu, adoro dá uma de valentona!

Mas hoje não...

Hoje eu não estou afim de fingir não sentir medo e escrevendo aqui posso afirmar pra vocês, que morro de medo de ficar sozinha aqui. Não é medo de fantasmas, mas é medo do vazio que se instala quando as 16 pessoas que ficam o dia todo fazendo barulho, mais aquele telefone chato que não pára de tocar, mais as urgências latentes de um escritório em horário comercial, quando tudo isso se cala, se instala o silêncio e o silêncio não é pra qualquer um. Tem que ser muito corajoso pra ficar no silêncio e ouvir seus próprios gritos.

Especificamente hoje eu tive um dia terrível.

Abusei de algumas coisas erradas no fds e dormi demais, acordei com dor de cabeça e cólica. Chegando no trabalho, eu não conseguia me concentrar e é claro, acabei não rendendo nada. Também tive doses cavalares de desprezo e incompreensão por parte de onde eu só espero alegria e aconchego. Também vi uma pessoa que adora tentar me passar pra trás me chamar de golpista, explodi, briguei, perdi a razão e ganhei uma forte dor de gastrite que se juntou com a minha péssima alimentação e enfim, resumidamente eu tive um dia ó do borogodó.

E é ai que entra a parte estranha...

Nesse momento, estou aqui no escritório, fazendo hora extra de graça só pra poder ficar sozinha aqui!

Como eu quero ficar sozinha e como isso é difícil!

Esses dias me deu uma vontade de chorar até desidratar e como é difícil fazer isso! Como as pessoas te cobram que vc esteja sempre sorridente e bem quando na verdade, onde é mesmo que eu assinei isso? Onde e quando foi que eu combinei que estaria sempre bem?? EU NÃO ESTOU BEM E FODA-SE. Pra ficar bem, basta um dia ter estado ruim e pra ficar bom, basta um dia ter ficado tudo bem.

Acredito eu, na minha inocência fantasiada de sagacidade, que ninguém fica 100% bem o tempo todo.

Cada dia mais acredito que ninguém É feliz e sim, que as pessoas FICAM felizes. Como um estado de espírito.

Sobre a solidão eu não sei até que ponto ela é ruim... Como disse acima, sempre tive medo de ficar sozinha aqui (sim, eu tô aqui \o) mas agora eu estou desejando ardentemente isso. E confesso que estou desejando ardentemente a solidão, não sei se por vontade própria ou se por falta de escolha, mas eu espero que ela me traga respostas que as vibrações sonoras não trouxeram. Eu só quero que passe logo.


Bom, esse texto deve estar bem confuso, mas não vou revisa-lo que é pra combinar comigo, pra combinar com essa pessoa que escreve pra não falar.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

. C de Coração.





. Eu



Quero



A



Chave



A



Chave



da



Porta



Da



FRENTE



Eu



Quero



Agora



Eu



Quero



Pra



Sempre

B de Balão.



Eu pensei que você tivesse esquecido que hoje era nosso aniversário de namoro,
mas quando eu acordei,
a sala estava repleta de amor, ops, de balões.
Tá, balões e "amors".

quinta-feira, 9 de junho de 2011

PARA O CAPITÃO AMÉRICA COM AMOR. parte I ♥

Era querta-feira e não parava de chover.
E não era uma daquelas garoinhas chatas de inverno não, até pq nem inverno era. Era chuvão daqueles de desfazer a chapinha e manchar o seu blush.
Seria um "sinal" de Deus pra desmarcar o encontro que marcamos no desepero de resolver logo essa agonia de sermos desconhecidos fisicamente um para o outro? Digo fisicamente pq de resto eu acreditava já conhecer muito bem o *fulano. Nada que 256485 mil mensagens sms não faça por vc.
Mas não era só isso. Era a disposição! Meu Deus, o fulano parecia, desde o primeiro segundo um guardião enviado dos céus pra me tirar daquela vida amorosa de merda que eu vivia. Dizer que eu vivia é até uma piada (risos), vida amorosa que eu não vivia é a definição mais correta.
Mas eu era uma deusa da conquista!
E os que me conhecem, sabem do que eu estou falando. Chegava na balada, escolhia minha vitíma e soltava minha frase mágica: "Hummm, deixa com a Verônica!!" e lá ia eu com todo meu papinho furado sobre plataformas de petróleo e sobre o meu celular não pegar no meio do oceano (Essa desculpa era fantástica pra não dar meu número pra ninguém, sempre funcionava!) e pimba! Já era! EU PEGAVA!
E digo pegava pq era isso mesmo que a deusa da conquista aqui fazia, pegava pessoas aleatórias em lugares aleatórios e depois ia pra casa, deitava sua cabeleira castanho claro no travesseiro e dormia como um anjo. Tá, nem tanto como um anjo pq geralmente eu estava chapada, tinha a questão da cama girando e tal, mas enfim, era assim que funcionava e minha vida era ótima. Ou pelo menos eu acreditava que era. Ai conheci o fulano. Cara, não podia ser:
Primeiro: Ele era muito legal e não escrevia sms em miguxês
Segundo: Ele era hetéro.
Terceiro: Ele era solteiro.
e quarto e não menos importante: Ele estava interessado verdadeiramente em mim!

MAS COMO ASSIMMMMM BRASEEEL???
Eu não prestava! Era uma rata devoradora de homens. Não era possível isso. Esse cara é louco! Deve ser feio! Tenho certeza.
Então vou lá, conhecer esse cara pessoalmente pq não é possível que ele seja tão legal, engraçado, inteligente, charmoso e com a voz de sono mais sexy de todos os tempos e ainda seja bonito. Isso não existe!

Ai chegou a quarta-feira de chuva que citei acima.
Pensem na minha torcida pra ele ser uma mistura de Baby da família dinossauro com o monstro do lago de Ness.
Sim, eu estava torcendo pra isso pq se ele fosse lindo =======> FODEO.
E cara, ele era lindo...
Tinha os olhos mais lindos do universo. Uns olhinhos maliciosos mas com um ar infantil lindo e irresistível. OH SHIT!

tomara que ele beije mal
tomara que ele beije mal
tomara que ele beije mal

Fui repetindo isso mentalmente no trajeto: na frente da escada do metrô até o Bar J.

tomara que ele beije mal
tomara que ele beije mal

Ele me beija e caralhonãoqueromaisparardebeijareagoradeusssssss!!!!
(vejam a encrenca: misturei palavrão e Deus na mesma frase)

E foi assim meus caros, que começou a salada de sentimentos que me encontro atualmente.
Amanhã, ou depois (não sei, não gosto de datas), conto a parte II desse romance quase não romance que teima em querer não ser e acaba sendo. Um beijo no coração.

P.S.: * Os nomes verdadeiros serão preservados. HAHAHA

quinta-feira, 24 de março de 2011

e por incrível que pareça, VC AINDA

me inspira. Respira. Inspira. Expira. Pá!

. A faxina que não aconteceu.

Ela só queria uma caixa pra dar fim nas suas antigas coisas.
Aquelas, que vc deixou de usar no dia em que vc morreu pra ela.
Era uma caixa mediana, mas que caberia tudo com uma certa folga.
A caixa era forrada com jornal com notícias de tragédias.
As notícias de tragédias combinavam com aquela caixa.
E suas tralhas já não combinavam mais com ela.
Caminhou decidida até o quarto, abriu a porta, o gato miou, abriu o armário, o gato miou.
Lá dentro, além da poeira e dos vestígios de abandono irremediável estavam suas coisas.
Ela pegou com cuidado e guardou na gaveta.
E jogou a caixa fora. V.A.Z.I.A!

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

. Tudo Igual ou Maybe Not .

Mais um pseudo relacionamento que vai pro saco!
Dessa vez, 3 anos e 5 meses se foram.
Se foram não, eu dei pra você. Assim, de "grátis". Sou boazinha.
Eu penso que deve existir algum universo paralelo do que deveria ter sido. Explico: Alguém sabe me dizer pra onde vai a vida que a gente imagina ao lado de uma pessoa e não acontece?
Todas as coisas legais que você se imagina vivendo, todos os cafés da manhã juntos, todas as viagens, o apartamento moderninho, os passeios com o cachorro e o filho com a cara do pai. Alguém sabe me dizer pra onde vai isso tudo? Pro universo paralelo, com certeza!
Voltando ao fim do meu pseudo relacionamento, eu achava que ele não ia acabar nunca. Pensava que eu seria uma daquelas velhinhas, que chega ao fim da vida sentada em uma cadeira de balanço, com olhar cansado, viúva, contando pra neta mais velha sobre o grande e único amor de sua vida que não deu certo por "n" motivos. Já estava até conformada com isso.
Até que bons ventos sopraram e eu percebi que o meu problema era a falta de despedida. O filho da mãe tinha ido embora literalmente sem me dar adeus. Tratei disso mandando um bilhete de duas linhas pro outro lado do oceano e que espero que ele guarde pra sempre. Pelo menos isso. Ou jogue fora. Não importa mais.
O melhor de tudo foi a sensação de liberdade que senti depois. Uma euforia egoísta, uma festa no meu coração. Era como se tivesse mudado de casa, mudado de emprego e de cabelo. Sentia um cheirinho de tinta nova no ar. Fizeram faxina aqui dentro, com certeza.
Mas agora me sinto estranha... Com medo do que pode vir. E a minha cabeça que não é boba nem nada, que adora ter quem associar quando ouve uma música bonita, parece que esta procurando um substituto a qualquer custo. E meu Deus, como eu estou lutando contra isso. Eu não quero ter que começar tudo de novo, não quero ter minha casa bagunçada novamente, nem minhas paredes pintadas e furadas com furadeira. Eu não quero que façam mais festas sem me convidar e não quero mais ter que me imaginar velhinha contando pra minha neta aquele blábláblá by velhinha do Titanic que eu descrevi acima. As vezes parece que eu não sei cuidar de mim, e não sei deixar ninguém fazer isso. Só me resta escrever aqui essas palavras desconexas que vomito no teclado ao som de Cat Power - Maybe Not.
P.S.: Que estranho, estava ouvindo essa música por acaso enquanto escrevia. Quando vi o título e fui ler a tradução - Touchê!! Tudo a ver!
"O acaso é amigo do meu coração, quando fala comigo" L.H

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

♥ Receita de Cupcake ♥

Esses dias em conversa com um amigo, ele me fez uma pergunta bem difícil: O que eu procurava em um homem. O que fazia uma homem normal a vista de outras ser um homem ideal pra mim.
Obviamente, eu como boa mulherzinha que sou já comecei a desenrolar mentalmente um pergaminho com a minha receitinha de cara perfeito: Um cara bem humorado que me fizesse rir e que risse de mim tbm (exceto nos momentos em que falo sobre assunto sérios, como por exemplo quando digo que sei jogar Guitar Hero), inteligente (daqueles que dominam assuntos sortidos), que mate insetos (isso é de extrema importancia pra mim, eu tenho mto medo de barata), que seja educado musicalmente, goste de passar horas vendo dvds (desde Tarantino a Meu primeiro amor), goste de coisas simples da vida, compre remédio pra mim quando minha gastrite atacar de noite e não tivermos omeprazol em casa, e que seja barbudo. Ufa!
Mas depois de gastar 8 segundos pensando nisso tudo, a minha resposta pra ele foi a mais simples possível: O cara perfeito pra mim só precisa ter uma coisa... Coragem. Coragem de meter uma aliança no meu dedo e um filho na minha barriga.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

. Feliz Ano Velho ♥

Ano novo, novos planos!
É assim que geralmente funciona. Fazemos listas, limpamos os armários, as gavetas, doamos algumas roupas e jogamos outras fora. Papéis que não servem mais, dão lugar a outros papéis que não serviram mais durante o novo ano. E assim esperamos esperançosos pelo ano que vai bater na porta, fresquinho e cheio de possibilidades. Não é apenas uma data que muda e um calendário novo na mesa.
Trata-se de uma nova energia! é o mundo todo na mesma sintônia e com os mesmo desejos de dias melhores.
Especialmente pra mim essa virada de ano não foi como as anteriores. Um pouco antes do natal, tive uns dias ruins de mta introspecção, de silêncio e isolamento. Estava me sentindo péssima, com vontade de desistir de tudo: emprego, amigos, viagem de férias. Sou uma pessoa que quando esta com um problema, não costuma sair falando pra todo mundo e nem pra pouco mundo. Simplesmente me calo, me isolo e só volto ao meu normal depois de uma decisão/ solução tomada. E dessa vez não foi diferente. Depois de muito pensar, consegui chegar a algumas resoluções e a mais importante de todas: Cumprir minhas promessas de ano velho!
Oras, como quero fazer promessas novas se não cumpri as antigas? Então pra esse ano, desejo que eu consiga em primeiro lugar ter serenidade e paciência pra que eu mate de vez essa minha ansiedade aquariana que tanto me atrapalha a vida desde os 10 anos de idade. Desejo tbm sair menos e com mais qualidade, guardar dinheiro e cuidar da minha saúde que eu durante anos denegri com remédios tarja preta e outras coisinhas mais. Desejo tbm cuidar da minha liberdade e me desfazer de um relacionamento doente e unilateral que eu cuidei sozinha por pura teimosia fantasiada de amor. Não quero mais disperdiçar vontade. Finalmente eu aceitei que sou infinitamente boa demais pra vc e pras suas idéias doidas. Eu quero o novo, quero sentir meu coração batendo não só pra bombar sangue pro meu cérebro. Quero músicas novas, motivos novos, caminhos e lugares. Ter alguém pra mim não é a prioridade, mas se aparecer algum barbudo disposto e na mesma vibe que a minha, enjoy!
Mas principalmente, a maior de todas as promessas é ser comprometida e desciplinada comigo. Ir pra guerra com todas as armas que tenho e as que eu não tiver, comprar. Seguir em frente, sem olhar pra trás e quando cair, cair de pé.
Sei que pode chegar o 31/12/11 e eu ler isso aqui, dar risada e ver que não fiz metade do que queria fazer. Isso é uma possibilidade... Mas eu fico com a segunda opção. A opção de dar certo.
Desejo um ano novo cheio de momentos felizes na vida de vocês e que vocês também cumpram suas promessas de ano velho nesse novo ano com cheirinho de pão saído do forno.